Cena 1: Agosto de 2014, aula de piano do curso de Música da UFSJ. Sugiro à minha aluna que ouça uma nova peça brasileira para o seu repertório do semestre e me ofereço para lhe emprestar um CD na aula seguinte. Prontamente ela responde: “Não precisa, vou ouvir no YouTube!”. Cena 2: Na semana seguinte, a aluna chega para sua aula. “E aí, gostou da peça?”, eu pergunto curiosa. “Professora, essa música que você sugeriu não existe!! Não tem no YouTube…”, responde minha aluna sem titubear. Cena 3: Setembro de 2014, nasce a ideia de um projeto que “dê vida”, no mundo virtual, ao vasto repertório didático escrito para piano por compositores brasileiros.

Em atividade desde novembro de 2014, o projeto de extensão Piano.Pérolas: desvelando o repertório didático brasileiro foi idealizado e é coordenado por mim, Carla Reis, professora lotada no Departamento de Música da Universidade Federal de São João Del Rei (Minas Gerais, Brasil). Inicialmente, o projeto tinha como objetivo principal registrar obras de compositores brasileiros direcionadas às fases elementar e intermediária do aprendizado pianístico em vídeos com qualidade artística para serem divulgados nas plataformas digitais YouTube e Facebook.

É relevante ressaltar que, embora parte desse repertório esteja prescrito em muitos programas de escolas de música e conservatórios, ele não se encontra devidamente registrado e disponível na internet, o principal “lugar” de pesquisa e fruição musical nos dias atuais.

A realização de levantamentos sistemáticos de obras didáticas brasileiras também tem sido, desde então, um dos objetivos do projeto. O projeto conta também com a participação dos professores colaboradores Liliana Botelho e Marcos Edson Filho (UFSJ), professores convidados de outras universidades, alunos de piano do curso de licenciatura em Música (UFSJ) e bolsistas. Até o momento, já foram realizadas gravações em vídeo de obras didáticas de importantes compositores brasileiros como Lorenzo Fernândez, Ronaldo Miranda, Antônio Celso Ribeiro, Oiliam Lanna, Edino Krieger, Francisco Mignone e José Vieira Brandão, perfazendo um total de 60 vídeos divulgados.

O expressivo alcance do projeto, logo em seu primeiro ano de funcionamento, estimulou desdobramentos nas propostas iniciais. O primeiro deles, iniciado em 2016, é o evento denominado Piano.Pérolas convida, que promove encontros presenciais regulares, na cidade de São João Del Rei, com pianistas e professores convidados para realizarem recitais, gravações, rodas de conversa e masterclasses. O segundo, que causou um grande impacto no número de pessoas envolvidas com o projeto, foi a criação, em maio de 2017, da série de vídeos Pérolas Didáticas: Piano.Educação. Essa série propõe a divulgação de conteúdos digitais relacionados à pedagogia do piano e visa contribuir de maneira mais assertiva para a formação de professores de piano. Nesses vídeos, procuramos utilizar uma linguagem mais acessível, ou seja, não acadêmica, e enfatizamos a necessidade de atualização pedagógica constante. Desde a divulgação do primeiro vídeo – O complexo de Gabriela –, temos recebido um retorno muito positivo e entusiasmado de professores e estudantes de piano de todas as regiões do Brasil. Como desdobramento mais recente, citamos a presença do projeto Piano.Pérolas no Instagram, rede social que privilegia um conteúdo mais enxuto e imagético. Essas novas frentes de ação nos têm levado à compreensão de que, a partir de agora, a formação continuada de professores de piano talvez seja a principal “missão” do projeto.

Em três anos de funcionamento, já obtivemos resultados quantitativos relevantes. Segundo dados disponibilizados pelo Youtube (fevereiro/2018), o canal Piano.Pérolas, que conta com 772 inscritos, obteve cerca de 47.000 acessos e seus vídeos foram visualizados em mais de 100 países. A página de divulgação do projeto na rede social Facebook já conta com 2.746 “curtidas” e é principalmente por meio dessa ferramenta que temos entrado em contato com o público do projeto.

Para além de sua vertente extensionista, o projeto tem contemplado também ações de ensino e pesquisa, como a criação de disciplinas voltadas para a formação de professores de piano e o desenvolvimento de trabalhos de iniciação científica, de conclusão de curso e de mestrado. Em uma etapa futura, pretende-se criar um site que abrigue, além dos vídeos, informações de caráter didático sobre as obras, tutoriais e, caso sejam autorizados pelos compositores, links para download das partituras.

Para 2018, estão previstas duas ações principais: a publicação de material didático – o livro Piano.Pérolas: quem brinca já chegou! – com peças para serem ensinadas “por imitação” (rote teaching) e acompanhadas por vídeoaulas e a criação de oficinas on-line sobre diversos aspectos da pedagogia do piano.

A grande receptividade do projeto no campo acadêmico brasileiro e na web – aferida pelas ferramentas disponíveis e pelo retorno dos seguidores por meio de mensagens e e-mails – nos levam a acreditar em sua importância em um cenário no qual os avanços tecnológicos impactam cada vez mais a pedagogia musical. Fica aqui o convite para que nos façam uma visita virtual! ◆

 


YouTube

 

Publicado no primeiro número da revista CONCERTISTA

Você bem informado!

Cadastre seu email...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*